One Tree Hill: A vida e seus imprevistos

Se você gosta de seriados, com certeza passou pelo menos uma vez na vida por um episódio qualquer de One Tree Hill. Contando a história de um grupo de amigos que passam por diferentes caminhos e desafios durante suas vidas, o drama fala de mudanças, amizades e principalmente, amadurecimento. A temática pode soar um pouco cliché, mas ao acompanhar as primeiras temporadas, você pode sentir a força de cada personagem e se deixar levar: As surpresas da série vão te levar pelas mais distintas emoções.

Com um enredo cotidiano que aborda constantemente a esperança e a desesperança de viver, o seriado se passa na pequena cidade de Tree Hill, onde Lucas Scott, nosso protagonista, tem que lidar com muitos desafios ao seguir seu sonho de se tornar um grande jogador de basquete. O menino de 16 anos tem sua vida cercada por pessoas extremamente diferentes: Sua mãe Karen, extremamente doce e gentil, faz de tudo para ajudá-lo no alcance de seus objetivos por todo o programa. Nathan Scott, seu meio-irmão, é um jogador arrogante e popular, cuja única meta é destruir os planos de Lucas, que se apaixona pela sua namorada, Peyton Sawyer. Nessa treta amorosa ainda surgem Haley, a melhor amiga de Lucas, e Brooke Davis, a melhor amiga de Peyton, cujas participações acabam se tornando ainda mais influentes  (é uma confusão tremenda, fi, se prepara).

Tratando inicialmente sobre fracassos amorosos e dinâmicas adolescentes, a série de nove temporadas tornou guinadas interessantes durante seu desenvolvimento. Na quinta temporada, adquire um tom mais encorpado, tratando sobre temas adultos como emprego, gravidez, casamento, entre outros. As polêmicas vão surgindo, trazendo novos personagens que concentram contextos ainda maiores à trama.

Em geral, One Tree Hill é uma série dramática que conta com 9 temporadas, exibida originalmente entre Setembro de 2003 e Abril de 2012. Os 187 episódios com 43 minutos cada foram transmitidos no Brasil pela FOX e pelo SBT, traduzida como “Lances da Vida”. A história de Lucas Scott, que narra as primeiras seis temporadas, se relaciona com as vidas de todos os grandes personagens ao seu redor, concentrando-se inicialmente em seus amigos e familiares.

Muito mais do que apenas um drama sobre o cotidiano, One Tree Hill encanta pelos detalhes e puxa extensas reflexões, explorando seus personagens de forma sensível e muito intensa. Como eu disse no título, uma das coisas que podemos aprender com a série é a lidar com imprevistos, afinal, a vida nunca se mantém do mesmo jeito e está sempre entre constantes mudanças. Eis alguns dos principais motivos pelos quais você precisa conhecer esse seriado:

Dramas reais

Existem praticamente todos os tipos de relacionamentos em One Tree Hill, e com alguns deles, com certeza podemos nos identificar. Nem que seja a história do tio do amigo do seu vizinho, essa história estará descrita pela série, e pode acreditar que você vai acabar se identificando com ela. Para mim, tudo começa com a relação conflituosa entre Dan Scott e seus filhos, cujo impacto em todo o roteiro das nove temporadas é sempre marcante. A presença de Karen, que além de ser a mãe do Lucas também é a mãezona de todo mundo, também é essencial, principalmente durante conflitos. As dificuldades de Haley são uma barra para suportar, e eu juro, se você não se sensibilizar em nenhum momento com o quanto essa menina sofre, pare e pense: “E se isso acontecesse comigo?” (acredite, pode acontecer).

Keith ❤

A amizade de Brooke e Peyton

Toda loira tem sua morena e Peyton e Brooke são a prova dessa afirmação. Mesmo entre conflitos das mais diferentes espécies, essa amizade é uma das coisas mais interessantes da série: Afinal, todo mundo tem aquela pessoa que conhece exatamente cada detalhe sobre a sua vida, e que mesmo diante dos maiores desentendimentos, seria a única no mundo capaz de te dar um conselho válido para resolver um problema. Não importa o quanto elas apanhem uma da outra em confusões, brigas e decepções corriqueiras… Elas sempre têm uma à outra.

Nunca se sabe o que vai acontecer

Se você acha que Tolkien e Martin são os mestres em matar personagens adorados pelo público, ainda não viu o que os roteiristas de OTH preparam para você. Comece preparado, sabendo que todas as pessoas que você ama no primeiro episódio vão sofrer para caramba até o fim da série, ou que estas podem nem sobreviver até lá. Ninguém é poupado de qualquer surpresa, assim como na vida real, onde a gente nem sabe se vai acordar no dia seguinte. Não existe esse lance de “pena” com os mocinhos, vilões, etc: Todo mundo se ferra um pouco – e se não foi pra lama ainda, pode ter certeza que o próximo episódio guarda novidades.

Polêmicas em ascensão

Com a força tomada pela série nas temporadas decorrentes, a produção investiu em alguns temas mais “sérios” pelo enredo. Passagens entre adoção, anorexia, depressão, consumo de drogas, abandono, entre outros, chamam a atenção, ainda marcados pela forte atuação dos personagens envolvidos. Além de alertar sobre algumas polêmicas, a série ainda desenvolve uma enorme chamada para os sentimentos: Com a preparação dos atores, fica nítida a mensagem de que devemos sempre pensar em certos valores antes e depois de grandes decisões ou acontecimentos, ou as mais adversas reações podem acabar vindo à tona.

Personagens interessantes

Não são só alguns nomes que você ouve uma vez e identifica superficialmente: Cada personagem de One Tree Hill tem uma história, e sim, esta será contada com extrema sensibilidade ao longo da trama, fazendo com que você se identifique profundamente. Observando de perto a trajetória de cada um, conhecemos ideias interessantes e momentos emocionantes ao longo de suas jornadas. A riqueza de detalhes é uma marca chamativa, que pode ser do interesse de boa parte dos espectadores. Pode parecer exagero, mas ao assistir pelo menos uma temporada inteira, você vai entender o que estou falando: É impossível não se envolver nem um pouquinho com pelo menos um dos personagens da série!

Trilha sonora digna

Um dos maiores pontos positivos de One Tree Hill é sua trilha sonora. Com músicas que completam de forma íntegra cada episódio, a série acaba aderindo grande impacto musical. A boa escolha de repertório também se relaciona um pouco ao desenvolvimento de uma temática musical, que cresce a partir do destino dos próprios personagens. A música de abertura, “I don’t wanna be”, de Gavin DeGraw, pode ser considerada hino por todos os fãs do seriado. No site oficial, a própria produção disponibilizou uma página chamada One Tree Hill Music para descrever o papel de cada música da série em cada uma das principais cenas do programa. A protagonista, Peyton, fez a frente do primeiro CD de OTH dentro da própria série, como produção do próprio seriado.

Abertura original da série

“Acredite em você mesmo”

Para mim, a maior mensagem que se pode tirar de todo o seriado é essa ideia de que tudo é possível, contanto que você acredite em si mesmo e invista no que quer. Citei o exemplo da confiança quando falei sobre as polêmicas da série, mas o roteiro também foca nos sonhos, esperanças e metas de cada um, ressaltando o gancho da coragem que devemos ter para assumir riscos e fazer decisões (afinal, esses são os “lances da vida”). A dinâmica ressalta o quanto parte de cada um estar onde deseja: Nós escolhemos as pessoas que queremos por perto, o que queremos ter e se estamos felizes com o lugar onde escolhemos ficar. Tudo depende de você, e One Tree Hill faz questão de negritar essa mensagem durante todas as temporadas.

Momentos hilários

Ok, já deu para entender que você vai encontrar muito drama. Mas você também vai descobrir momentos super divertidos – principalmente durante a adolescência dos personagens, nas primeiras temporadas. Todas aquelas briguinhas, romances, traquinagens e momentos típicos das comédias adolescentes estão por aí. Além disso, temos jogadores de basquete, líderes de torcida e muita música: Todo o “american dream” aplicado da forma mais real que você possa imaginar. Alguns personagens, como Mouth, Rachel, Skills, Julian, Chris Keller, entre muitos outros, são tiradas hilárias que dão um ótimo toque de humor e energia ao seriado. No mesmo nível de emoção, você terá ótimas risadas.

Poder da dúvida

Acredite em mim: Você nunca vai estar 100% certo de sua opinião sobre determinado personagem até chegar ao fim da série. Com todos os fatos que acontecem, tanto bons quanto ruins, acabamos invertendo nossos julgamentos e mudando de posicionamento o tempo todo sobre os personagens envolvidos. Naquele momento em que você está decidido sobre o quanto determinada pessoa é uma filha da puta desgraçada, ela surge fazendo algo inesperado, e você fica descrente sobre o quanto estava errado sobre ela. One Tree Hill ajuda você a refletir sobre os pré-julgamentos… E a se livrar deles sempre que possível.

Mais do que mensagens reflexivas, a série tem sacadas muito divertidas e histórias inesquecíveis, entre personagens tão reais quanto as pessoas que conhecemos no dia a dia. Para quem está a fim de começar um novo seriado ainda neste primeiro semestre, não vejo uma história mais surpreendente e emocionante do que One Tree Hill. Pronto para se encantar? Não esquece de me avisar se curtiu depois!!! 😀

Anúncios

Escreva aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s