HIMYM: Todos temos um Barney dentro de nós

Eae! Começando a falar sobre séries, venho comentar um pouco sobre a minha mais recente descoberta do mundo televisivo – a ilustre How I Met Your Mother.

Com a proposta “vida entre amigos/sonho de todo universitário que está de saco cheio de viver com os pais/pular a parte chata da vida adulta”, a série é um pulo na direção certa quando se trata da temática divertida, espontânea e curiosa de vida entre amigos. Contando a história de Ted Mosby, um arquiteto que vive com seus dois melhores amigos de faculdade, Marshall e Lilly, o programa tem como foco mostrar todo o desenvolvimento da vida amorosa de nosso personagem principal, que está explicando a longa história sobre como conheceu o amor de sua vida.

Entre referências sobre assuntos polêmicos, a análise de diferentes personalidades e enredos que falam do cotidiano, HIMYM vai muito além dos caminhos traçados pelas comédias românticas convencionais. Com um Q de provocação, muitas sacadas hilárias e personagens tão reais quanto todas as pessoas que você já conheceu (ou que ainda vai conhecer), a história pode ser uma boa pedida pra sua lista de séries favoritas. Dá só uma olhada no que podemos descobrir nessa história:

Resumindo, How I Met Your Mother é um seriado do estilo comédia romântica, que conta com 9 temporadas, exibido originalmente de Setembro de 2005 a Março de 2014. No mesmo estilo “Anos Incríveis” (só que no efeito contrário) a história é narrada por um Ted Mosby (o personagem principal da trama) do futuro, que tenta explicar aos dois filhos a história de como conheceu a mãe deles, no ano de 2030. Entre diversas peripécias vividas com seus grandes amigos Marshall Eriksen, Lily Aldrin, Barney Stinson e Robin Scherbatsky, toda a história é explicada a partir de cada uma das inúmeras aventuras vividas pelo grupo, que são narradas nos incríveis 208 episódios do seriado.

Como qualquer boa série, HIMYM é divertida, com toques que podem puxar até mesmo a reflexão sobre como a vida se altera entre as paredes tão bem construídas do nosso cotidiano. Entre os melhores motivos para acompanhar essa história, apresento-lhes alguns dos principais:

A história de amor de Marshall e Lily

Todos temos aquele lado “manteiga derretida” melequento dentro de nós, e acompanhar uma história que tenha personagens tão românticos quanto o Marshall e a Lily faz reacender essa chama mimizenta dentro de todos nós. O mais legal de acompanhar o relacionamento dos dois é ver as intempéries, que não alteram o sentimento e firmam cada vez mais uma relação entre duas pessoas que estão dispostas a aceitar o que vier pelo que vivem juntos. Com pensamentos, gostos e personalidades diferentes, Marshall e Lily se completam e se acrescentam, sempre unidos entre qualquer adversidade. Como um casal de verdade, eles não são só flores: Apresentam constantes ataques de ciúmes, discutem sobre coisas do dia a dia e tomam decisões importantes individualmente. Mas como qualquer amor sincero, eles têm um pouco do que cada um de nós sempre quis num relacionamento: Uma vida sexual ativa (e põe ativa nisso – só no episódio piloto da série, você já pode ver o quão forte é a “paixão” entre eles), um diálogo sincero (um sabe tudo sobre a vida do outro) e apoio mútuo (até nas bebedeiras), além de carinho incondicional (“Marshmallow” e “Lilypad”) a todo momento. Quem nunca quis viver um romance tão fofo e animado como esse?

Bitch, please

 

Sem tabus

Longe de qualquer preconceito, HIMYM fala abertamente sobre todo e qualquer assunto – de forma muito mais positiva e construtiva do que se possa imaginar. Sites de relacionamento, bebedeiras, casos amorosos de balada, a “vida de solteiro”, têm de tudo um pouco. Como a história está sendo contada aos filhos de Ted na narração da série, muitos termos e questões culturalmente delicadas são abordadas de forma mais sutil, contando com adaptações até divertidas. Por exemplo, fumar maconha na fala dos personagens é uma ação substituída por “comer um sanduíche”, assim como ao falar de sexo, a referência “tocar gaita” é amplamente utilizada. O legal desse tipo de critério é falar sobre tabus sem polemizar os assuntos: Barney tem um irmão na série, James, que é gay e negro. Com uma leveza incrível, a passagem dele pela série é tão natural como qualquer outro personagem, passando longe de qualquer preconceito ou “texto insinuativo”. Haja cuidado na hora de escrever…

Eating a sandwich………

 

Todo mundo pode se identificar

Você pode achar que não à primeira vista, mas todo mundo – sim, TODO MUNDO – tem um pouco de Barney Stinson dentro de si. Não só dele, mas de todos os personagens: Com as experiências vividas por cada um, os perfis, as aparências e até as emoções, podemos nos relacionar facilmente com pelo menos uma parte de cada um dos personagens principais. O legal disso é que você pode se sentir dentro da história, acompanhando a progressão dos acontecimentos só pra ver se tudo aquilo bate com o que você teria feito naquela situação. De crenças e visões, sou MUITO Robin; Quanto aos relacionamentos, algo bem próximo da Lily; Na relação com o trabalho, super Marshall; E quanto às peripécias do dia a dia, 100% Ted (além das ambições e do jeito um pouco Barney de ser).

 

O seriado é fácil de acompanhar

Longe de episódios muito extensos ou roteiros complicados de entender, a série é muito fácil de se acompanhar. Disponível em várias plataformas pela internet (com transmissão muito boa pelo Netflix, que tem a série devidamente legendada e em ótima resolução), você pode encontrar HIMYM em qualquer parte, com as temporadas completas. Cada episódio tem uma média de 22 minutos, então, uma maratona de séries de fim de semana pode matar boa parte do seriado em pouco tempo. Vale a pena acompanhar durante seu tempo livre!

 

Curiosidade incessante

Como qualquer seriado ou programa de televisão, HIMYM usa de inúmeros artifícios para atiçar sua curiosidade e fazer com que você continue acompanhando o show. Mas em oposição a muitos outros programas, a série realmente te dá motivos para continuar: Sabendo que tudo chegará a um final incrível (já que, logo no começo da história, sabemos que Ted se deu bem e finalmente encontrou o amor que tanto buscou a vida inteira), você sente a necessidade de descobrir como tudo se encaminhou até o fim. Além disso, a trajetória de cada personagem é sempre impactante. Com diversas reviravoltas ou mudanças de rumo, nenhum destino é certo pela série – nem mesmo entre as situações que “parecem” resolvidas.

 

Barney Stinson

“SUIT UP!” Ok, parece um argumento infundado, mas só assistindo você vai entender. A história de Barney, sua personalidade e seu jeito maluco são apenas alguns motivos para gostar do personagem. Gostar não, você terá uma relação de amor e ódio com ele: Enquanto se apaixonar por todas as boas ações que faz em nome de quem realmente ama, vai detestá-lo por ser o maior cachorro filho da puta do universo. Tudo depende do seu ponto de vista e do jeito incrivelmente imprevisível do nosso querido bro. Neil Patrick Harris, ator que dá vida a Barney, é deslumbrante no papel. Com toda certeza, você vai sentir na pele cada uma de suas maluquices pelo desenrolar da série. “And it’s gonna be legen… (wait for it) …DARY!”

Aparições e personagens secundários geniais

O mais legal nessa série é que TODO MUNDO que participa faz uma marca. Gente muito famosa já fez aparições pelas temporadas, como Britney Spears e Enrique Iglesias. Além disso, os personagens secundários conseguem ser tão legais quanto os principais. O taxista Ranjit, por exemplo, é uma tirada sensacional que brota de tempos em tempos pelas temporadas da série. Wendy, a garçonete, também aparece de forma divertida em diferentes momentos, na mesma medida que Carl MacLaren, o bartender que consegue namorar uma gata libanesa. Todo diálogo da história parece tão bem projetado na mesma proporção de que soa natural, como se tivesse sido montado de improviso. Tudo se encaixa da forma mais inusitada possível.

Relação com a realidade

Todos já tivemos casos que não deram certo ou conhecemos pessoas com os tão temidos “crazy eyes”. E já tivemos (ou temos) amigos com que contamos em boa parte de nossas histórias de vida, entre nossos próprios “bro’s codes”. Com um enredo bem mais próximo de nossa realidade, que envolve problemas financeiros, os grandes momentos da vida adulta (como o primeiro carro, o casamento, a gravidez, entre outros), traumas de infância, momentos constrangedores, situações bizarras que parecem impossíveis de acontecer, relacionamentos esquisitos, empregos chatos e expectativas superestimadas, tudo que acontece ali poderia ter acontecido com você. Ou se não acontecer, tenha certeza de que você pode acabar num bar ao estilo do MacLaren’s pra ver se algo acontece.

Como qualquer reality show, How I met your mother não poderia ser menos real do que aparenta, com um amplo potencial pra conquistar qualquer espectador em busca de um bom programa para passar o tempo. Com tantas piadas e histórias divertidas, é impossível não ceder aos encantos da série e seguir pra valer. E aí, bora começar a assistir? Depois me conta se você curtiu! 😉

Anúncios

Escreva aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s